No intervalo das 5h às 7h, fica recomendada a entrada de trabalhadores da indústria, das 7h às 9h, profissionais de serviços e das 9h às 11h, trabalhadores do comércio.

Por conta do  aumento no número de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e pessoas infectadas com a Covid-19, o governo de São Paulo recomendou, nesta quinta-feira (11), que os patrões adotem um sistema de escalonamento de horário para que trabalhadores não precisem se aglomerar em transportes púbicos, a fim de evitar uma maior taxa de contaminação pela doença.

No intervalo das 5h às 7h, fica recomendada a entrada de trabalhadores da indústria, das 7h às 9h, profissionais de serviços e das 9h às 11h, trabalhadores do comércio.

VOCÊ VIU?

“Várias destas medidas, tanto medidas mais restritivas como esses escalonamentos de transporte, foram usados por vários países e essas medidas fortes nessa restrição da circulação é que vai fazer a diferença”, afirmou o secretário de Saúde de São Paulo,  Jean Gorinchteyn.

O governador João Doria afirmou que o transporte não será prejudicado e não haverá diminuição na frequência. “O sistema de transportes do estado de São Paulo, o sistema de trens mêtros, não terá alteração e não haverá redução na oferta de transportes públicos”.

Por conta do  aumento no número de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e pessoas infectadas com a Covid-19, o governo de São Paulo recomendou, nesta quinta-feira (11), que os patrões adotem um sistema de escalonamento de horário para que trabalhadores não precisem se aglomerar em transportes púbicos, a fim de evitar uma maior taxa de contaminação pela doença.

No intervalo das 5h às 7h, fica recomendada a entrada de trabalhadores da indústria, das 7h às 9h, profissionais de serviços e das 9h às 11h, trabalhadores do comércio.

Escalonamento no trabalho

“Várias destas medidas, tanto medidas mais restritivas como esses escalonamentos de transporte, foram usados por vários países e essas medidas fortes nessa restrição da circulação é que vai fazer a diferença”, afirmou o secretário de Saúde de São Paulo,  Jean Gorinchteyn.

O governador João Doria afirmou que o transporte não será prejudicado e não haverá diminuição na frequência. “O sistema de transportes do estado de São Paulo, o sistema de trens mêtros, não terá alteração e não haverá redução na oferta de transportes públicos”.

Ele comentou pediu também para que prefeitos das cidades do estado não diminuam a oferta de ônibus municipais.