O Brasil terá mais uma fabricante de aviões, e desta vez a empresa ficará em Minas Gerais. A Desaer (Desenvolvimento Aeronáutico) pretende construir uma fábrica ainda este ano em Araxá, no Alto Paranaíba, com investimentos da ordem de US$ 100 milhões.

As obras devem ter início no segundo semestre e durar até dois anos. A expectativa é que sejam gerados 1.250 empregos, entre diretos e indiretos, com o novo empreendimento. As perspectivas são que a empresa ocupe uma área construída de 96 mil metros quadrados e que sejam produzidas, inicialmente, quatro aeronaves por mês. A nova unidade da empresa ficará no aeroporto de Araxá.

Pequeno porte

Formada em São José dos Campos por ex-funcionários da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), a startup pretende focar um novo nicho, o de aviões de pequeno porte.

Segundo Evandro Fileno, CEO e um dos sócios-fundadores da Desaer, a proposta é que a aeronave tenha baixo custo de aquisição, operação e manutenção e possa ser utilizada no transporte de cargas e passageiros, além de atender as demandas das Forças Armadas e do transporte regional.

A aeronave desenvolvida pela empresa, ATL-100, é um bimotor turboélice para uso comercial e militar, com capacidade para transportar 19 passageiros, 12 paraquedistas ou até três contêineres de 2,5 toneladas, os mesmos que são utilizados em aviões cargueiros de grande porte. O modelo se assemelha a um tipo de avião que a Embraer parou de fabricar em 1990, quando encerrou a produção do EMB-110 Bandeirante.

“Estamos buscando um mercado que as empresas não atendem hoje, uma vez que em sua maioria são produzidos aviões maiores, acima de 70 lugares. A ideia é que possa ser uma aeronave que atenda pequenas cidades. Não adianta colocar um avião de cem lugares em locais que não têm essa capacidade de receber”, explicou Fileno, que trabalhou por mais de 20 anos na Embraer.

Ainda de acordo com Evandro Fileno, este é um setor carente por novidades e produtos modernos. “Atualmente, todos os produtos disponíveis nesse segmento são projetos das décadas de 1970 e 1990, ou até mais antigos. Estamos desenvolvendo uma aeronave de última geração para a categoria dos aviões utilitários”, afirmou.

Cefet vai fornecer apoio técnico 

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), campus de Araxá, firmou uma parceria com a Desaer e vai fornecer o espaço físico para a elaboração do projeto da aeronave ATL-100 pelo período de dois anos e também para a construção da fábrica da empresa no município. O Cefet vai prover, ainda, apoio técnico do corpo docente nas áreas de mecânica, edificações, eletrônica e automação industrial. Os alunos do centro federal poderão participar do projeto.

Embora não mencione quais foram os benefícios oferecidos pelo governo para a instalação da fábrica em solo mineiro, Evandro Fileno, um dos sócios-fundadores da Desaer, se mostra entusiasmado com a vinda da empresa para Minas. “Estávamos em negociação em Goiás, São Paulo. As condições fiscais são próximas, mas o pensamento do Estado em investir em novas tecnologias chamou a atenção”.

Saiba mais

Concorrência. Atualmente, duas empresas desenvolvem os aviões tipo ATL (Aeronave de Transporte Leve), a Desaer e a americana Cessna. Uma das vantagens desse modelo, segundo a Desaer, é que a aeronave pode ser adaptada de transporte de passageiros para cargueiro ou ambulância aérea em pouco mais de uma hora.

Demanda. Desaer diz já ter 12 pedidos: cinco para o Brasil e sete para o Uruguai. Cada modelo sairá por US$ 5,5 milhões. “Hoje, no mundo, há em torno de 5.000 aeronaves voando. Existe uma pesquisa de mercado de que nos próximos dez anos serão substituídas cerca de 2.000. Focamos é este mercado”, diz o CEO Evandro Fileno.

História. A Desaer surgiu em 2017, e seu escritório fica em São José dos Campos (SP). A fábrica em Araxá deve ser a única no Brasil, mas a empresa deve construir uma unidade em Portugal, e há conversas para uma na Ásia.

A fábrica brasileira deve alimentar o mercado das Américas, e a portuguesa, o europeu e o africano. Desde sua criação, a Desaer vem desenvolvendo o projeto da aeronave e buscando investidores. A primeira ATL deve ser entregue em 2023.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *