Aeroporto de Ribeirão Preto pode ter voos para o Caribe

O presidente do consórcio Voa SE, vencedor do leilão para administrar o aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto, pelos próximos 30 anos, afirmou que a cidade pode ter voos para países da América do Sul e do Caribe.

Em entrevista para o jornal Valor Econômico, publicada nesta terça-feira (5), Marcel Moure disse que o aeroporto ribeirão-pretano é o principal ativo arrematado pelo grupo no último mês de julho por R$ 14,7 milhões. Além do Leite Lopes, a Voa SE vai assumir a administração de outros 10 aeródromos no Estado de São Paulo.

Na entrevista, Moure afirmou que a intenção do consórcio é internacionalizar o aeroporto de Ribeirão Preto. Com isso, poderia abrigar voos comerciais para países da América do Sul e do Caribe.

Por conta do tamanho da pista, que tem sido alvo de discussões desde que começou ser aventada a possibilidade de internacionalização do Leite Lopes, não estariam previstos voos para os Estados Unidos e para Europa.

Isso porque, o acordo que ainda será assinado com o governo estadual, não deve prever obras na pista, pelo menos, no início do contrato.

Em julho, o vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB), responsável pelas privatizações no governo Doria, informou que o consórcio deve assumir o Leite Lopes no primeiro semestre de 2022.

Além do valor arrematado, o governo estadual estima que, com a privatização, o Leite Lopes receba investimentos de até R$ 119 milhões no período em que o contrato estiver em vigor.

Fazem parte do bloco arrematado pela Voa SE os aeródromos de Bauru/Arealva, Marília, Sorocaba, Araraquara, São Carlos, Franca, Guaratinguetá, Registro, São Manuel e Avaré/Arandu, além do aeroporto de Ribeirão Preto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *