Aprovada em primeiro turno, PEC Emergencial limita gastos com auxílio

 

Com medidas de redução de gastos, a PEC Emergencial limitou em R$ 44 bilhões o montante destinado ao auxílio. O relator, senador Marcio Bittar (MDB-AC), argumentou que o teto sinaliza para os investidores que o Brasil não está aumentando os gastos públicos ainda mais. Contrária às medidas de contenção de despesas, que incluem o congelamento de salários do funcionalismo, a oposição tentou aprovar apenas o auxílio. O senador Rogério Carvalho (PT-SE) alertou que a proibição de aumentos de gastos impedirá repasses maiores para leitos de UTIs em hospitais públicos. O Plenário deverá votar o segundo turno da PEC Emergencial nesta quinta-feira (4).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *