Capacidade da Santa Casa de São Joaquim da Barra está esgotada para tratar Covid

O diretor-superintendente da Santa Casa de São Joaquim da Barra (SP), João Alberto Destro, disse nesta quarta-feira (5) que a capacidade da unidade está esgotada para tratar pacientes com Covid-19.

Desde o ano passado, a cidade soma 3.794 casos da doença e 81 óbitos. Segundo o gestor, há mais de 50 dias, o Centro de Terapia Intensiva (CTI) registra 100% de ocupação nos 13 leitos disponíveis.

Para agravar ainda mais a situação, 12 profissionais de saúde foram diagnosticados com a doença e estão afastados das funções.

“A gente está colapsado há tempos tanto em recursos físicos como em recursos financeiros, além da estafa. Os médicos estão fazendo plantão de 50 horas porque não se acha médico intensivista no estado. Kit de intubação está quase a zero, então não vai ter mais medicamento. É um caos geral”, afirmou.

O mapeamento genético das amostras dos colaboradores infectados apontou que todos contraíram a variante brasileira do coronavírus, a P.1, que, segundo especialistas, é mais agressiva.

Flexibilização

Ainda de acordo com Destro, a enfermaria, que tem 25 vagas, apresentou queda nas internações por 15 dias, mas o número voltou a crescer desde a reabertura das atividades econômicas consideradas não essenciais.

“Me parece que as pessoas não estão muito preocupadas. Os bares em São Joaquim estão lotados de pessoas sem máscara até tarde da noite. Não há fiscalização e nem cumprimento aos decretos, e a Santa Casa é quem paga o pato, porque congestiona aqui dentro e nós não temos condições físicas e financeiras de atender.”

Dados citados pelo diretor mostram que, em abril, de 347 pessoas examinadas com suspeita da doença, 200 foram diagnosticadas.

“Dessas 200 pessoas, tivemos quase 80 ou 90 internados, que geraram 512 diárias de internação clínicas e 387 diárias de internação em UTI, ao custo de R$ 2 milhões para o tratamento. Embora tenha uma contrapartida do governo de São Paulo, ela não é suficiente.”

Atendimento prejudicado

Destro afirmou que se a situação perdurar por mais tempo, será inviável manter o atendimento a casos de Covid, uma vez que outras especialidades médicas não deixaram de ser acompanhadas na unidade.

“A Santa Casa, obviamente, não vai fechar para as outras doenças, mas para a Covid nós vamos ter que parar. Nós temos a UTI geral com 12 leitos que você tem que estar atendendo. Você está desviando toda a atenção só para a Covid porque está tomando conta do hospital e da cidade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *