Com mais de 1,3 mil ligações, Passos lidera ranking de geração solar no Sul de Minas

Passos (MG) lidera o ranking de geração solar no Sul de Minas. A cidade tem mais de 1,3 mil unidades instaladas em residências. A geração própria de energia solar em telhados e pequenos terrenos é uma importante ferramenta para reduzir a demanda por eletricidade no país, sobretudo nessa crise hídrica enfrentada pelo Brasil.

Passos também foi o município que mais instalou geradores nos últimos três anos. Foram 335 em 2018, 527 no ano passado e 298 só neste ano.

“Os benefícios da energia solar são números. Você tem uma energia limpa, sustentável, com um custo de geração mais barato e uma alternativa que vem se consagrando cada dia mais como uma energia complementar à energia hidráulica, o que é muito importante neste momento de energia hídrica que estamos vivendo”, disse o diretor de negócios e finanças da Cemig-SIM, João Paulo Campos.

Minas Gerais enfrenta uma escassez hídrica. O Lago de Furnas opera hoje com 37% de sua capacidade, mas com a falta de chuvas, poderá chegar ao limite mínimo permitido, que é de 15%, até o final de novembro deste ano.

O Sul de Minas tem 15.667 geradoras de radiação solar em 154 municípios. As placas que captam a luz do sol ficam no telhado da casa. Elas armazenam a luz que é convertida em energia por esse aparelho. Depois, é só usar na casa toda.

“A principal vantagem que todo mundo busca é a economia, economia na conta energia, se livrar das taxas altas, dos aumentos, e você também tem o benefício do conforto, de poder estar utilizando um ar-condicionado por exemplo, tranquilo, sem se preocupar com a conta de energia no fim do mês, você tem também a valorização do imóvel, colocando um gerador de imóvel você consegue valorizar o imóvel e tornar mais atrativo para a venda, e também principalmente na preservação do ambiente, do meio ambiente, dos rios, das represas”, disse o engenheiro eletricista Heitor Vieira.

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, a energia gerada a partir da luz do sol pelos próprios consumidores, ajuda na falta de água e representa um terço da capacidade de produção, por exemplo, da Usina de Itaipu.

“Quando o consumidor decide gerar a própria energia, ele está ajudando a toda a sociedade a economizar, pois com menos termelétricas tendo que ser acionadas, o peso das bandeiras vermelhas na nossa conta de luz também cai, e essa economia vai passar todos 150 bilhões de reais nos próximos 30 anos. A crise hídrica se agrava a cada dia e o consumidor não aguenta mais pagar conta de luz cara. Estimular a geração própria de casa é uma solução transversal em que todos ganham: o consumidor, a sociedade e o meio ambiente”, completou a vice-presidente da ABSOLAR, Bárbara Rubim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *