Contra a Covid, Guaíra fecha supermercados e impõe confinamento até 7 de abril

Moradores de Guaíra entraram em confinamento na quinta-feira (1º) para tentar frear o crescimento de novos casos de Covid-19. Até as 5h de quarta-feira (7), a circulação de pessoas nas ruas está restrita, com proibição até de caminhadas, e estabelecimentos considerados essenciais, como supermercados e bancos, devem permanecer fechados.

Guaíra tem 3.114 casos de Covid-19 confirmados desde o início da epidemia. Ao todo, 90 pessoas morreram com a doença.

A cidade não tem leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e os pacientes em estado grave precisam ser transferidos para hospitais em Barretos (SP), que também enfrenta risco de colapso. Segundo a Prefeitura, há 16 pessoas internadas em centros intensivos.

O confinamento adotado pela Prefeitura foi decretado por recomendação do Ministério Público. O estado de São Paulo está na fase emergencial até o dia 11 de abril, mas os prefeitos podem endurecer ainda mais as regras, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Apesar da rigidez, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), já disse anteriormente que o fechamento de supermercados, como ocorre em Guaíra, pode causar problemas de abastecimento.

A fiscalização das regras será feita por agentes públicos. Denúncias sobre descumprimento das normas podem ser feitas por telefone à Guarda Civil Municipal (GCM), pelo número (17) 3331-2273.

Santa Casa de Guaíra — Foto: Sérgio Oliveira/EPTV

Santa Casa de Guaíra — Foto: Sérgio Oliveira/EPTV

Não pode funcionar

  • Prestadores de serviços em geral;
  • Salões de beleza e barbearias;
  • Academias de esportes de todas as modalidades, centros de ginásticas e estabelecimentos congêneres;
  • Educação complementar não regulada;
  • Atividades de construção civil
  • Agências bancárias, lotéricas, cooperativas de crédito ou estabelecimentos congêneres;
  • Igrejas;
  • Clubes;
  • Parques públicos e praças;

Pode funcionar só por delivery

  • Comércio em geral;
  • Bares e restaurantes;
  • Depósitos de materiais para construção e lojas de tintas;
  • Supermercados, hipermercados, açougues, padarias, cerealistas, varejões, padarias e congêneres.

Pode funcionar

  • Hospitais;
  • Clínicas;
  • Farmácias;
  • Lavanderias;
  • Serviços de limpeza;
  • Postos de combustível;
  • Hotéis (mediante agendamento);
  • Assistência técnica de produtos eletroeletrônicos (mediante agendamento);
  • Serviços de manutenção de veículos e equipamentos, desde que sejam voltados para a operação do enfrentamento da pandemia, como ambulâncias e viaturas da polícia;
  • Aulas e atividades presenciais nas instituições de ensino técnico e superior voltadas à área da saúde.

Outros serviços

O atendimento presencial é permitido diariamente, até às 18h, nos seguintes estabelecimentos:

Indústria

Mantida a operação, mas as empresas devem respeitar medidas sanitárias como lotação máxima limitada a 30% da capacidade nos veículos de transporte de funcionários, distanciamento na entrada e na saída dos turnos, limpeza, aferição de temperatura, disponibilização de álcool gel.

Postos de combustíveis e distribuidoras de gás

Atendimento permitido até às 20h para abastecimento. Proibido o atendimento presencial nas lojas de conveniência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *