Empresa São José pede reajuste na tarifa e auxílio emergencial

A empresa de ônibus São José, que opera no transporte coletivo na cidade de Franca, interior de São Paulo, realizou um novo pedido de auxílio emergencial para a Prefeitura.

Desde o começo da pandemia do coronavírus, oito pedidos de auxílio financeiro foram solicitados pela empresa, para que o atendimento pelos ônibus seja mantido, como explica o diretor da São José, Paulo Barddal, em nota.

“A São José já protocolou oito pedidos de auxílio emergencial e, até hoje, não obteve nenhuma resposta por parte da Prefeitura. A concessionária só está conseguindo operar por dois motivos: primeiro, porque tem um compromisso com os usuários; e, segundo, porque recorreu ao mercado financeiro para honrar os compromissos.”

Paulo afirma que o contrato firmado com a Prefeitura prevê um reajuste da tarifa a cada ano. Entretanto, nos últimos quatro anos, apenas dois reajustes foram efetuados. Este fator, junto à diminuição da demanda de passageiros pela pandemia, causa sérios problemas às contas da concessionária, também conforme informado em nota.

“O atual prefeito decretou apenas duas revisões nos últimos quatro anos e, com isso, o desequilíbrio econômico-financeiro do contrato só aumentou”, disse Paulo.

O valor solicitado para o poder público municipal do auxílio emergencial, referente ao período entre abril e outubro deste ano, é de R$ 6,442 milhões.

Em efeitos comparativos de transporte de passageiros, a variação de usuários registrados em abril do ano passado e de 2020 é de mais de um milhão a menos. Em abril de 2019, na cidade, foram transportadas 1.373.865 pessoas, contra apenas 233.036 em abril deste ano. Uma queda de 83,04%.

Já em novembro, quando a região alcançou a fase amarela no Plano São Paulo do Governo do Estado, a queda registrada foi de 60,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

(Diário do Transporte)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *