ESTREANTE CERRADO DO BASQUETE NA NBB: “VIEMOS PARA FICAR”

​“Com certeza não será algo temporário. Nós permaneceremos na elite do basquetebol nacional (NBB) durante muitos anos, chegamos para ficar. O clube está sendo construído para ser o programa esportivo de Brasília no basquetebol”, afirma Dimitri Ramos, diretor presidente do Cerrado.

Neste mês, o Cerrado Basquete anunciou, via redes sociais, o ingresso na temporada 20/21 do Novo Basquete Brasil (NBB), a primeira do clube na elite do basquetebol nacional, prevista para começar no dia 14 de novembro.

Após o pedido de entrada na liga ser aceito pelo Conselho de Administração da Liga Nacional de Basquete (LNB) e pelos representantes da Associação de Atletas Profissionais de Basquete (AAPB), a equipe vai se juntar ao Brasília Basquete na competição, que contará com duas equipes do Distrito Federal pela primeira vez em sua história.

O Cerrado estava nos preparativos finais para disputar o Campeonato Brasileiro de Basquete (antiga Liga Ouro), porém, a pandemia alterou os planos. Com alguns clubes desistindo de participar do NBB, a equipe candanga conseguiu a vaga na elite, e está adaptando o planejamento para o novo torneio.

O técnico Bruno Lopes conta com o respaldo da diretoria, que acredita que ele é um dos grandes talentos da nova geração de treinadores do Brasil. Além disso, o elenco está sendo reformulado, com a chegada de novos atletas e manutenção de peças do plantel que disputaria o CBB.

Um dos novos contratados é o ala-armador Paulo Lourenço, 25, que retornou ao Cerrado após sair em 2018. O jogador, que conta com passagens pelo Basquete Cearense (CE), e, mais recentemente, Pato Basquete (PR), se diz feliz na volta ao clube candango, o qual ele considera sua casa no basquetebol.

“Eu encaro como uma das melhores oportunidades da minha vida, porque estar jogando onde a gente gosta, quer e ama, é muito importante. Eu saí daqui (Cerrado Basquete) porque tinha que continuar evoluindo, era necessário e o NBB traria isso para mim”.

Surpresa

Dimitri Ramos afirma que estar no NBB é um “sonho realizado” para o clube em apenas 4 anos de existência. Apesar de ser novato no campeonato, ele almeja objetivos, como chegar aos playoffs do NBB, o mata-mata, onde os 12 melhores da temporada regular se classificam.

O otimismo não se restringe apenas ao elenco principal. O basquete feminino e as categorias de base também terão metas a serem alcançadas no decorrer do período.

A ideia é promover a estruturação de uma ala de alto rendimento profissional competitivo, para que possa disputar também a Liga Nacional Feminina (LNF).`Para o setor de formação, o propósito é se fortalecer para competir entre os melhores da esfera no âmbito nacional.

O clube ainda deseja abrir uma nova unidade de núcleo social e, nesse sentido, para Ramos, a entrada no NBB traz uma visibilidade e responsabilidade maior de representar o estado e formar cidadãos.

Para o ala Paulo Lourenço, o clube possui ambições individuais e coletivas. “Venho muito motivado e com muita vontade. O Cerrado montou um time capaz de surpreender todo mundo. Então eu vou lutar muito por isso, para conseguir que o clube vá lá para cima, para conseguir viabilizar tudo que o projeto almeja”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *