FISCALIZAÇÃO E PM APREENDEM EQUIPAMENTO E IMPEDEM FESTA CLANDESTINA EM RIFAINA

A Polícia Militar, juntamente com a fiscalização da Prefeitura Municipal e a GCM Guarda Civil Municipal de Rifaina lacraram o local e apreenderam o equipamento de som que seria utilizado neste final de semana em uma festa clandestina em um dos ranchos da cidade. A “Festa do Camilinho” já havia sido realizada clandestinamente em novembro do ano passado.

O empresário responsável é o mesmo que promoveu uma festa clandestina na cidade, no feriado de finados do ano passado que ficou marcada pela morte de um jovem residente em São Joaquim da Barra.

A festa seria realizada nesta sexta-feira, dia 29, estendendo-se pelo final de semana com expectativa de presença de grande público cuja parte já teria reservado vagas em hotéis da cidade e adquirido os ingressos a preços de R$ 1,500 para homens e R$ 150 para mulheres.

A Prefeitura de Rifaina informou que a festa era clandestina pois a Prefeitura não recebeu pedido de alvará e nem poderia fornecê-lo pois o Município está respeitando a Fase Vermelha do Plano SP de combate ao Covid-19.

O material da festa como o som que já estava sendo montado foi apreendido por determinação da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal.

Segundo a Prefeitura de Rifaina, o caso está sendo enviado pelo Departamento Jurídico da Prefeitura para o Ministério Público da Comarca, em Pedregulho, para a tomada das devidas providências administrativas e criminais.

VÍTIMA FATAL

A festa foi muito comentada negativamente no final do ano passado, devido a uma ocorrência trágica: a morte de um jovem estudante.

A Polícia Civil investiga a causa da morte de um jovem de 25 anos, após passar mal em um rancho, durante uma festa na Estrada do Asfalto Velho, em Rifaina.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Aluísio Dionísio Trindade estava participando da festa na noite do último sábado, 31, quando foi encontrado desacordado por amigos, que o socorreram.

O jovem foi levado para o pronto-socorro de Rifaina e, posteriormente, transferido para a Santa Casa de Pedregulho. Apesar dos esforços dos médicos, Aluísio não resistiu e morreu.

De acordo com informações colhidas, o jovem teria tido várias paradas cardiorespiratorias.

Aluísio era de São Joaquim da Barra e nas redes sociais dele constam que ele estudou na faculdade de Ituverava e estava no último ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *