Fiscalização interdita bares e multa empresário por promover festa em Araxá

No primeiro fim de semana de tolerância zero em relação ao desrespeito às regras impostas pela prefeitura no combate à pandemia da COVID-19 em Araxá, no Alto Paranaíba, a fiscalização atendeu cerca de 40 denúncias de aglomeração e descumprimento das medidas de segurança sanitária.
O município realizou a interdição de três bares que funcionavam após o horário estabelecido no decreto municipal e emitirá multa a um empresário que promoveu festa com mais de 20 pessoas em sua residência.
Estabelecimentos flagrados descumprindo as regras previstas nos decretos municipais serão notificados em 50 Unidades Fiscais da Prefeitura de Araxá (UFPA, que hoje equivale a R$ 53,87 o valor unitário), totalizando uma multa de R$ 2.693,50.

O valor será aplicado ao proprietário e ao locatário da área, caso seja identificado no local aglomeração irregular de pessoas.

Também serão multadas as pessoas que estiverem participando de reuniões em locais privados, que causem aglomerações, considerando reuniões com 10 pessoas ou mais que estejam reunidas com propósito recreativo. A multa será de 20 UFPAS, ou seja, R$ 1.077,40 por pessoa.
De acordo com a secretária municipal de Saúde, Lorena de Pinho Magalhães, que esteve à frente da operação no último fim de semana, o município está agindo com rigidez na fiscalização dos infratores.

Das 40 denúncias, 18 foram de perturbação de sossego e os órgãos competentes realizaram os procedimentos necessários.

“Tivemos algumas denúncias que não procediam e outras onde realizamos as notificações necessárias. Infelizmente, algumas pessoas não têm consciência da situação que estamos vivendo, e mesmo com vários pedidos, vários alertas, querem contribuir para a disseminação do vírus.”

Festa clandestina em Araxá

Quanto à ocorrência da festa promovida pelo empresário, a prefeitura informou que, além da multa aplicada ao organizador, pessoas que estiveram presentes no evento serão identificadas por meio de fotos e vídeos disponíveis e igualmente punidas.
 “Houve uma denúncia que foi constatada pela fiscalização e fotos. Vmos multar. Não importa o motivo, não importa quem seja, não importa que seja amigo de quem for. O município está realizando seu trabalho em parceria com as Forças de Segurança. Vamos notificar, realizar a interdição por 15 dias, se necessário, e multar o responsável. Como o prefeito Robson Magela disse, se o óbito de um familiar, um amigo ou conhecido não é capaz de sensibilizar essas pessoas, talvez mexer no bolso dela resolva”, desabafa Lorena.
Em pouco mais de um mês após o fim da onda roxa imposta pelo governo do estado, Araxá, com cerca de 107 mil habitantes, registrou 1.422 novos casos positivos da COVID-19 e 31 óbitos.

Nas últimas duas semanas, o hospital Santa Casa de Misericórdia de Araxá, unidade referência no tratamento de casos positivos de coronavírus, vem registrando ocupação de leitos UTI entre 95 e 105%.

 Os números reacenderam o sinal de alerta das autoridades locais e a preocupação se estende também aos municípios da região, que não têm fiscalizado as medidas de prevenção.

As cidades de Campos Altos, Ibiá, Pedrinópolis, Perdizes, Pratinha, Santa Juliana e Tapira transferem seus pacientes para Araxá.

Em coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira (19), o prefeito Robson Magela reforçou a necessidade dessa cooperação e disse que o município não receberá pacientes de cidades que não adotarem medidas mais rígidas de restrições.
“Nós vamos entrar em contato com os prefeitos da microrregião e pedir este apoio para não sobrecarregar a nossa rede. Recebemos pacientes de sete cidades e para que não haja o fechamento total do comércio, precisamos da cooperação de todos. Araxá vai fazer sua parte, mas é preciso que os outros municípios também façam”, destacou Robson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *