Geadas prejudicam produção de cana-de-açúcar na região de Ribeirão Preto

A segunda onda de frio do inverno, que deixou os termômetros próximos de 0ºC, causou prejuízos para produtores de cana-de-açúcar na região de Ribeirão Preto (SP). Por conta dos danos, a produção pode ser menor na próxima colheita, segundo agricultores.

Em Jardinópolis (SP), o tempo frio e seco, junto à geada que atingiu a região na última semana, causou perda de cerca de 20% em um canavial. O produtor Gustavo Guimarães Lamonato afirma que o dano foi generalizado.

“Normalmente a gente vê isso em pontos localizados, mas esse ano foi bem extenso. A qualidade da matéria-prima vai diminuir, as usinas vão ter perdas de sacarose, e a gente vai ter perda de peso também”, prevê.

 

Plantações foram diretamente afetadas pela onda de frio em Jardinópolis, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Plantações foram diretamente afetadas pela onda de frio em Jardinópolis, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Danos irreparáveis

Para calcular os prejuízos do tempo aos canaviais, a Associação dos Plantadores de Cana do Oeste de São Paulo está mapeando as regiões mais afetadas. Em Sertãozinho (SP), por exemplo, a terra ficou coberta de gelo onde já houve colheita.

O agrônomo André Bosch Volpe explica que as baixas temperaturas congelam e matam a planta por dentro, afetando diretamente a gema apical, que é o ponto responsável pelo crescimento da cana-de-açúcar.

“A cana continuaria crescendo a partir desse ponto, então dependendo do dano que ocorre, da intensidade da geada e do dano que ocorre na gema apical, essa cana pode chegar a morrer. Ela começa a deteriorar de cima para baixo, da ponta para o pé”, afirma.

 

Danos na gema apical da cana-de-açúcar afetam o crescimento da planta — Foto: Reprodução/EPTV

Danos na gema apical da cana-de-açúcar afetam o crescimento da planta — Foto: Reprodução/EPTV

Reflexos no preço

Colher antes da hora o que foi afetado é a solução para que as usinas possam usar o que restou, mas, agora, a planta possui menos valor energético, segundo Volpe. Com isso, o preço das produções de açúcar e etanol pode aumentar.

“O que deve afetar possivelmente, no futuro, valor de açúcar e etanol para mais, talvez para o fim da safra. A hora que entrar o fim da safra a gente vai conseguir quantificar, de fato, quanto isso afetou em quebra de produção, a gente com certeza vai começar a refletir em preço”, diz.

 

Além da cana-de-açúcar, a geada também afetou a Área de Preservação Ambiental da plantação. O frio intenso foi responsável pela morte de mudas nativas, conforme explica o gestor ambiental Fábio Solera.

“Algumas mudas estavam se recuperando, a gente achou que a recuperação ia acontecer, e veio a segunda geada. A segunda geada danificou um pouco mais a brotação das mudas, então agora estamos aguardando para ver se vamos ter que fazer todo o replantio”, ressalta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *