Lista de vacinados contra Covid-19 em Franca, SP, tem profissionais de saúde com 17 anos

Relatórios da Prefeitura de Franca (SP) com a lista dos moradores vacinados no município contra Covid-19 aponta que cinco profissionais de saúde com 17 anos receberam o imunizante. Os documentos também levantaram a suspeita, para Polícia Civil, de que moradores tenham furado a fila da vacinação.

Por não terem feito parte dos testes, menores de idade não podem ser imunizados, segundo orientações dos fabricantes das vacinas e do Plano Nacional de Imunização (PNI). Os relatórios de Franca apontam que quatro jovens foram vacinados em fevereiro, um em março e outro em abril.

O caso levou à Polícia Civil abrir um inquérito e à Prefeitura criar uma sindicância para apurar as suspeitas de irregularidade na vacinação. O prefeito de Franca, Alexandre Ferreira (MDB), diz que recebeu na tarde desta quinta-feira (29) um relatório preliminar da sindicância.

Ferreira afirma que, diferentemente dos documentos divulgados ao público pela Prefeitura, o relatório inclui o nome completo de cada morador que pode ter sido vacinado irregularmente. Os casos, segundo ele, serão analisados individualmente.

“As inconsistências requerem aprofundamento nas apurações. Se o erro do nome e da data de nascimento foi no cadastramento na hora da vacina, no lançamento do papel para o sistema, se é do sistema ou se realmente houve má-fé em aplicar a vacina em quem não poderia ter recebido”, diz.

Prefeito de Franca (SP), Alexandre Ferreira (MDB) explica sindicância aberta para investigar suspeita de fraude na vacinação contra Covid-19 — Foto: Prefeitura de Franca/Divulgação

Prefeito de Franca (SP), Alexandre Ferreira (MDB) explica sindicância aberta para investigar suspeita de fraude na vacinação contra Covid-19 — Foto: Prefeitura de Franca/Divulgação

O delegado seccional de Franca, Wanir Silveira Júnior, afirmou que vai solicitar à Prefeitura a relação completa de vacinados do município desde o início do programa de imunização. Ainda sem um alvo específico, as investigações têm prazo inicial de 30 dias, mas devem se estender.

Segundo Silveira Júnior, as diligências devem apurar os crimes de falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, além de prevaricação, delito cometido por servidor contra a administração pública ao deixar de praticar, retardar ou praticar indevidamente um ato de ofício em benefício próprio.

De acordo com dados do Vacinômetro do governo de São Paulo, Franca vacinou 80.410 mil moradores contra Covid-19. Dentre eles, 20.074 já receberam a segunda dose da vacina, necessária para concluir a imunização e garantir a imunidade coletiva a longo prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *