Morte de casal em Passos foi motivada por dívida de R$ 50

O delegado que acompanha as investigações da morte de um casal encontrado morto na zona rural de Passos (MG) deu detalhes sobre as investigações. Segundo ele, o crime foi cometido por uma dívida de R$ 50.

O delegado Danilo Gustavo informou que o suspeito contou, em depoimento à polícia, que havia uma dívida de uma das vítimas, o caseiro Antônio Rodrigues Mota. Ele foi até a fazenda onde o homem trabalhava para cobrá-lo. As mortes de Antônio, de 61 anos, e de Kênia Cristina dos Santos, de 42, teriam acontecido após um desentendimento.

O suspeito, de 33 anos, foi preso na cidade de Jaíba, no norte de Minas Gerais, na última sexta-feira (2). Ele foi encaminhado ao Presídio de Botelhos (MG).

“Após uma conversa de cerca de meia hora com uma das vítimas, ocorreu uma discussão, eles entraram em luta corporal e, na ocasião, ele matou com uma pedra o senhor Antônio, e arrastou o corpo até um arbusto. Em seguida, ele foi até a casa dos caseiros, onde estava a outra vítima, namorada da primeira vítima, a derrubando no chão com um carregador de celular, e a matou asfixiada”, detalhou o delegado Danilo Gustavo.

 

Em seguida, ainda segundo o depoimento, o suspeito pegou os celulares e a moto das vítimas e fugiu para uma cidade da região, onde ficou por dois dias escondido em um cafezal. Com o dinheiro obtido na venda dos celulares, fugiu para o Norte de Minas na moto da vítima, em uma viagem de dois dias.

“Com apoio de familiares dele, que não aceitaram a situação, nós conseguimos detê-lo. Como já havia mandado de prisão em seu desfavor, ele foi preso e trazido a Passos”.

A previsão do delegado é que o inquérito seja concluído ainda nesta semana para envio ao Poder Judiciário.

Casal foi encontrado morto na zona rural de Passos (MG) — Foto: Reprodução/EPTV

Morte do casal

O crime foi no dia 28 de setembro. A polícia foi chamada depois que uma testemunha esteve no local a procura de Antônio por diversas vezes e não obteve resposta. O dono da fazenda, que estava em outra cidade, foi comunicado e orientou que a janela de um dos quartos fosse arrombada.

O corpo de Kênia foi encontrado de bruços, seminua, com um fio enrolado no pescoço. Em volta da casa, foi localizado o corpo de Antônio, que estava próximo a uma árvore, também de bruços, com uma camisa enrolada na cabeça e sinais de violência pelo corpo.

A perícia constatou que a mulher foi morta por asfixia mecânica e o homem tinha escoriações pelo corpo, além de fraturas no crânio. Ainda foram recolhidos objetos próximos aos corpos que, provavelmente, foram usados no crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *