Movimentos ligadas aos lagos de Furnas e Peixoto criticam proposta do Iepha

Durante reunião realizada na terça-feira, 17, de forma virtual e com inúmeras intercorrências digitais (três reinícios com links truncados e que demoravam a abrir), com cobertura da Folha, várias falas não puderam ser repercutidas e também a reunião não ter sido gravada, o jornal publicou um resumo do que ficou definido com relação ao processo de tombamento. Porém, as associações ligadas ao lago, tanto de Furnas quanto de Peixoto, não figuraram no relato.

Estas associações participaram da reunião, quando demostraram insatisfação com o andamento que vem sendo tomado em relação ao assunto. Thadeu Alencar, presidente da União dos Empreendedores dos Lagos de Furnas e Peixoto (Unelagos), que juntamente com o movimento Todos Por Furnas e Peixoto participou do evento, relatou ontem que durante a reunião puderam manifestar total insatisfação da população e dos empreendedores do Mar de Minas com relação à forma passiva e conformista como o que o tema vem sendo tratado.

“Foi muito criticada, tanto pelos representantes de movimentos sociais, quanto pelos representantes dos demais deputados presentes a demora do governador do Estado em oficiar os órgãos federais com relação ao cumprimento da Constituição Mineira, uma vez que tal ato poderia ter sido feito imediatamente após a aprovação da PEC 106 no fim do ano passado”, argumentou.

Também foi muito criticada a passividade dos dirigentes mineiros diante do fato que a Hidrovia Tietê Paraná que, segundo o dirigente, “através dos órgãos reguladores, impõem formas de operação das hidrelétricas de forma que lá o nível seja sempre cheio e no Mar de Minas só nos reste o desespero e a lama. Diante disso os representantes de Minas Gerais nada fazem deixando uma tragédia socioeconômica e ambiental em nossas terras e colocando todo o país em um risco de segurança energética como já admitido pelo próprio Ministro da Infraestrutura”, disse.

O dirigente também questionou a quantia solicitada pelo Iepha de R$800 mil para fazer os estudos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *