Municípios se unem a favor da abertura das atividades

A palavra “união” permeou o discurso de todos os representantes do Poder Público presentes na audiência pública do último sábado (10), realizada pela Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso para tratar sobre a situação da Covid-19 na região.

O tema principal foi o retorno à onda vermelha e a reabertura do comércio. Nesta segunda-feira (12), o governo estadual aprovou o avanço para a onda vermelha das microrregiões de São Sebastião do Paraíso e Guaxupé, entre outras, após avaliação de indicadores como taxa de incidência da doença e ocupação de leitos.

Participaram do encontro autoridades de São Sebastião do Paraíso, Cássia, Jacuí, Pratápolis, São José da Barra, São Tomás de Aquino, a assessoria do deputado estadual Antonio Carlos Arantes, além de cidadãos.

O presidente da Câmara, Lisandro Monteiro (SD), considerou muito positiva a reunião, apesar do agendamento em um curto espaço de tempo. “Fui procurado por vários comerciantes e, na quinta-feira à tarde, pensei em unirmos forças. Em menos de 24 horas convidamos 22 municípios para a reunião – muitos não puderam vir por ter sido agendada de última hora. Mas estive em contato com vários vereadores e prefeitos, fizemos um grupo de presidentes da Câmara para continuar as conversas sobre esse e outros assuntos”, disse.

Ao final da reunião, todos os presentes assinaram ofício que será enviado ao governador de Minas Gerais Romeu Zema, ao secretário de estado de Saúde Fábio Vitor e aos deputados estaduais. Segundo o documento, o mais importante é a garantia da vida de todos, mas “o melhor caminho não é o fechamento do comércio e das atividades consideradas não essenciais, mas sim a conscientização, fiscalização e punição dos transgressores”.

Além de repudiar o desrespeito às regras de contenção do vírus da Covid-19, a Casa Legislativa paraisense ratifica o compromisso com aqueles que não podem trabalhar e perderam o seu sustento. “É preciso encontrar uma saída alternativa que garanta proteção à saúde dos munícipes, mas permita que as atividades que garantem o sustento de milhares de pessoas sejam levadas em conta, haja vista que garantir o ‘pão de cada dia’ na mesa das pessoas também é essencial”. O documento encerra com o compromisso de cada município se esforçar para punir, fiscalizar e garantir a todos acesso à saúde e proteção.

São Sebastião do Paraíso

Também esteve presente no encontro o prefeito municipal de São Sebastião do Paraíso, Marcelo Morais. Ele opinou que brigas políticas atrapalham o combate ao vírus e deixam a população sem orientações. “O governo anuncia em Belo Horizonte que começou a vacinação acima de 60 anos, mas em Paraíso estamos na faixa de 68 anos. O povo cobra da gente a vacinação sendo que não tem doses”.

Assim como os demais, ele faz questionamentos sobre o que deve ser considerado atividade essencial, comparando os pequenos comerciantes com as grandes magazines, que funcionam como correspondentes bancários. Também criticou a implantação da onda roxa em todo o estado: “Jacuí e São Tomás de Aquino têm que seguir a onda roxa sem nenhum caso [de Covid-19]. Paraíso tem que seguir a onda roxa, mesmo com indicativo de onda verde”. Ele agradeceu à Câmara Municipal no apoio ao enfrentamento da pandemia e disse que a reunião mostra unidade e preocupação com as atividades dos pequenos negócios.

O vereador José Luiz das Graças (PRB) ressaltou a defesa da saúde e do trabalho: “respeitamos aquilo que foi imposto com a onda roxa, porém, não concordamos em tirar o direito do trabalho e de trabalhar. Entendemos que estas pessoas estão sem rumo e solicitamos o reconhecimento que toda atividade de trabalho é essencial para a vida. Nesse momento, também imploramos ao governo por vacina para todos”.

Maria Aparecida Cerize se manifestou contrária ao lockdown e destacou os impactos para o comércio, escolas, aumento de violência contra vulneráveis, desemprego e fome. Ela considerou a reunião como um movimento muito positivo para mostrar ao governo que a população não concorda com a forma que a pandemia está sendo conduzida. “Precisa ficar claro que a vacinação não é a solução total, mas ela é a solução viável para diminuir o número de internações nas UTIs, que é o grande problema que temos hoje”.

Marcos Antonio Vitorino (PSC) e Luiz de Paula (PP) também se manifestaram a favor da união de Legislativo e Executivo e da abertura das atividades comerciais. Lisandro Monteiro encerrou dizendo que a reunião foi o pontapé inicial para um movimento maior de integração regional e que possa gerar novos encontros no futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *