Perto do colapso, Uberaba recebe doações de equipamentos e medicamentos

Com taxas de ocupações de UTIs de COVID muito perto do limite em Uberaba, no Triângulo Mineiro, tanto dos seus hospitais públicos como privados, a cidade passou a contar com doações para resolver o baixo estoque de medicamentos e a falta de equipamentos.

Os sindicatos patronais ligados ao Centro das Indústrias do Vale do Rio Grande (Cigra) e à Federação das Indústrias de Minas Gerais – Fiemg Regional Vale do Rio Grande, e também de empresas de Uberaba, informaram que vão doar 41 capacetes de respiração assistida Elmo, com entrega prevista para esta semana ao Hospital Regional José Alencar.

Além desta, em outras doações, Uberaba já recebeu durante esta semana da Sociedade Civil Organizada (SCO) e da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg – Regional Vale do Rio Grande) cerca de 9 mil caixas de Eiquis (apixabana), medicamento utilizado em pacientes graves da COVID-19 e cerca de 12 mil unidades de vitaminas.

Com relação ao capacete de respiração assistida Elmo, ele melhora a capacidade respiratória do paciente e reduz em 60% a necessidade de internação em UTI. O equipamento foi desenvolvido no Ceará, em abril de 2020 após parceria público-privada, para tratar pacientes com quadro leve ou moderado de COVID-19,
“Ele é considerado não-invasivo, de menor custo e mais seguro para os profissionais de saúde. O equipamento tem sido um importante aliado no tratamento de pacientes com insuficiência respiratória aguda hipoxêmica por COVID-19”, destacou nota da Secretária de Saúde de Uberaba.
De acordo com a prefeitura da cidade, a Cigra realizou a doação de 10 unidades do capacete; o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Material Elétrico e Fundição de Uberaba doou 10 unidades; o Sindicato das Indústrias de Material Plástico de Uberaba fez a doação de cinco unidades; o Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de Uberaba realizou a doação de três unidades; o Sindicato da Indústria da Marcenaria, Carpintaria e Serraria de Uberaba doou duas unidades. Já o Sindicato da Indústria Mecânica de Uberaba, o Sindicato das Indústrias da Alimentação de Uberaba, o Sindicato da Indústria Gráfica de Uberaba e o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Planalto de Araxá doaram, cada um, uma unidade do capacete Elmo.
As empresas Alta Genetics, Displás Distribuidora de Sacos Plásticos e Padaria Santa Luzia também integraram a arrecadação doando, cada uma, duas unidades de capacetes Elmo.
“Esses capacetes estão sendo muito aguardados e chegam em um momento muito importante para a saúde de Uberaba. Mais que uma contribuição ao governo, essa doação vai beneficiar a nossa comunidade e salvar muitas vidas”, ressaltou a prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, que nesta quarta-feira (24/3) testou positivo para a COVID-19. “Ela apresenta sintomas leves e segue em isolamento domiciliar, de onde deverá realizar o trabalho remotamente”, diz nota da prefeitura.

Capacete Elmo cobre toda a cabeça do paciente

O equipamento, que cobre toda a cabeça do paciente, é fixado no pescoço com uma base que veda a passagem do ar. No interior do capacete, aplica-se um fluxo de gases medicinais com oxigênio (O2) e ar comprimido capaz de gerar uma pressão positiva, acima da pressão atmosférica. Essa pressão ajuda em situações em que o pulmão está com dificuldade de oxigenação.
Taxa de ocupação dos leitos públicos de UTI/COVID de Uberaba está em 95%
De acordo com o último boletim epidemiológico do município, divulgado na noite desta quarta-feira (24/3), a taxa de ocupação dos leitos públicos de UTI/COVID está em preocupantes 95%. Já a situação dos leitos particulares UTI/COVID é ainda mais alarmante, com taxa de ocupação em 98%.
 Desde o início da pandemia foram contabilizados em Uberaba 18.213 casos, sendo que destes 464 pessoas morreram e 15.711 se recuperaram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *