PF deflagra Operação Anóxia e prende médico e fisioterapeuta em Ribeirão Preto

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 9, a Operação Anóxia, que investiga fraudes na concessão e recebimento de bolsas de estudos para pesquisas mantidas com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq. Segundo a PF, um médico e professor da USP em Ribeirão Preto e uma fisioterapeuta, que estão sendo investigados no esquema, foram presos nesta manhã.

Os nomes dos suspeitos, que estão na sede da PF de Ribeirão Preto para prestar depoimento, não foram divulgados.

“Há a suspeita também da ocorrência de falsificação de documentos, superfaturamento na aquisição de equipamentos para laboratórios daquela universidade e lavagem de dinheiro. As buscas estão sendo realizadas nas residências dos suspeitos e no departamento em que trabalham na universidade”, diz a nota da PF sobre o caso.

Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica e de apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio. Além de lavagem de dinheiro, as penas, somadas, ultrapassam 15 anos de reclusão.

Por meio de nota, a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP esclareceu que está “à disposição das autoridades competentes para colaborar nas investigações e que não compactua com irregularidades. Informamos ainda que a FMRP abrirá uma sindicância interna para apurar os fatos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *