POPULAÇÃO DEVE REDOBRAR CUIDADOS CONTRA O MOSQUITO DA DENGUE

Nos dias 12 e 13/01 foi realizado no município de Rifaina, a ADL, Avaliação de Densidade Larvária -, com o objetivo de identificar a situação do município em relação aos criadouros do mosquito transmissor de doenças como a dengue e outras transmitidas por mosquitos.

Esse trabalho tem em vista identificar as áreas com maiores focos do mosquito e também os tipos de recipientes que servem de criadouros, além de facilitar ações de combate e controle nas áreas mais afetadas.

Nos últimos levantamentos realizados nos meses de janeiro e outubro do ano passado, o município registrou um índice predial, que expressa a porcentagem entre o número de imóveis positivos, isto é onde foram encontradas larvas dos vetores e o número de imóveis pesquisados de 10% e 5% respectivamente e o índice Breteau que expressa a relação de focos dos vetores sobre cada 100 imóveis pesquisados 10 e 5. Ou seja. para 100 imóveis trabalhados 10 foram encontrados larvas em janeiro e cinco em outubro.

“Durante todo o ano de 2020 tivemos 12 casos suspeitos de dengue notificados, sendo 1 caso positivo. Nas primeiras semanas de janeiro foram notificados dois casos suspeitos”, explicou a Vigilância Sanitária.

O índice em janeiro de 2021 foi de 8.3% o que indica que apesar dos esforços do poder público, com arrastões, limpeza de terrenos, “fumacê” preventivo e orientações dos agentes de Endemias, o índice continua elevado no município, portanto, em situação de risco.

“Precisamos contar com o apoio e envolvimento da população para vencermos essa batalha. É necessário o engajamento de todos. Alguns minutos por dia podem reverter essa situação” pede a Vigilância.

A ordem é manter os quintais livres dos criadouros, retirar tudo que possa acumular agua das chuvas; colocar areia nos pratinhos das plantas ou faça furos; manter os reservatórios de agua bem vedados; guardar as garrafas em lugares cobertos e de boca para baixo. Estas são atitudes simples que salvam vidas, pois a Dengue mata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *