Prefeituras passam a exigir comprovante de residência para coibir ‘turismo da vacina’ no Sul de MG

O chamado turismo vacinal chegou também ao Sul de Minas. Equipes de saúde já identificaram pessoas de outras cidades que tentaram se vacinar em Passos (MG) e Poços de Caldas (MG). Agora, quem procurar doses da vacina contra a Covid-19 nesses municípios terá que comprovar que reside na cidade.

A princípio, em Poços de Caldas, segundo a prefeitura, as equipes de saúde orientavam as pessoas de fora para que aguardassem a vez de tomar a dose da vacina no município em que residiam. Agora, para facilitar a identificação dos moradores, a prefeitura tem solicitado, além de outros documentos já exigidos, também o comprovante de endereço nominal.

Gisele Scatola, referência técnica em imunização, fala sobre a nova medida adotada desde a última quarta-feira (23) em Poços. “Foi uma medida adotada pelo município esta semana, visto que estavam comparecendo pessoas de outros municípios para vacinar em Poços de Caldas. Como nós recebemos doses baseadas nas estimativas da população, foi necessário adotar essa medida de solicitação de comprovante de residência no ato da vacinação,” disse.

Gisele explicou ainda que a exigência do comprovante é mais direcionada aos que se vacinam por faixa etária. “Os grupos de trabalhadores, que são os grupos prioritários, a recomendação é que a vacinação seja feita no local [município] de trabalho, não no local de residência. As estimativas de população são baseadas também nos locais de trabalho e o envio do número de doses é baseado nessa estimativa. Então onde o profissional, por exemplo, de educação ou de saúde atua, é onde ele deve receber a vacina. Comprovando vinculo de trabalho em Poços de Caldas, eles serão vacinados no município,” explicou.

Em Passos, a prefeitura também identificou pessoas de outras cidades indo para lá se vacinar. Por isso, a secretaria de saúde adotou um programa municipal, o “VIVVER”, que serve para conferência do endereço do morador assim que ele procurar os locais de vacinação.

“Sabemos que a remessa da vacina da Covid vem de acordo com a população, ou seja, das pessoas que são residentes do município. Se outras pessoas, de outros municípios, vêm tomar a vacina aqui, esse quantitativo fica reduzido. Então nós adotamos a estratégias de todas as pessoas que vierem se vacinar serão consultadas primeiramente no sistema VIVVER, para comprovar se realmente essa pessoa é residente aqui de Passos. Só assim ela terá o direito de receber a vacina,” afirmou a secretária de saúde de Passos, Priscila Soares Corrêa Faria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *