Profissionalização e gestão ajudam granja a superar falta de mão de obra

O Brasil é o terceiro maior produtor da proteína de frango, ficando atrás dos EUA e China. Dessa forma, avicultura brasileira gera cerca de 500 mil empregos, produz aproximadamente 6 bilhões de aves e deve crescer entre 4,5% e 6% neste ano, de acordo com projeções da ABPA.

Porém, a mão de obra qualificada se faz um impedimento para o avanço da atividade, como relata a produtora Luciana Dalmagro, de Sales Oliveira (SP). Dalmagro adotou medidas para inovar em sua granja, trazendo reservatório de água de chuva, painéis solares e gestão para reduzir custos e reaproveitar recursos.

“Hoje a gente conta uma gestão especializada que olha para a qualidade, para o 5S rural e para o comprometimento e engajamento de equipe”, disse. “A gente tem que entender que nossas propriedades rurais não são só recortes de terra. Elas fazem parte de um grande ecossistema, então toda e qualquer ação e medida que a gente toma dentro da empresa tem que ter os impactos medidos”, completou.

De acordo com Dalmagro, a profissionalização é a receita do sucesso em sua granja. “A gente vê aqui como uma empresa qualquer. Ela é uma fazenda, logo é uma empresa rural. Para colegas que possuem propriedades menores ou médias, a gente diz que o passo da profissionalização precisa ser dado, assim como olhar para a associação familiar”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *