Recuo do Governo de SP mostra força dos protestos do agro, diz Faesp

Apesar da suspensão anunciada pelo Governo de São Paulo do aumento da cobrança do ICMS para produtos agropecuários, o setor ainda aguarda a publicação da medida. O vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), Tirso Salles Meirelles, disse, nesta quinta-feira (7/1), que o secretário de Agricultura do Estado, Gustavo Junqueira, garantiu a publicação oficial ainda nesta semana.

“Realmente o governo visualizou que precisaria retroagir nesse aspecto. Não apenas pelo ‘tratoraço’. Acredito que foi um ponto importante que o governador compreendeu a necessidade dos produtores da sociedade e como o aumento desse imposto afetaria tanto na cesta básica como na rentabilidade e competitividade do produtor”, disse Meirelles.

Em entrevista à Revista Globo Rural, também nesta quinta-feira (7/1) esta manhã, o secretário de Agricultura do Estado, Gustavo Junqueira, reafirmou o compromisso do governo em recuar com o aumento de 4,14% para produtos agropecuários, além de manter a isenção do ICMS para a energia elétrica rural, que passaria a ter uma alíquota de 13%. Junqueira garantiu de que “não haverá tributação ao agro em SP”.

Conscientização

Sobre o ‘tratoraço’ organizado pelos representantes do setor produtivo do agro, Tirso Meirelles avalia ter sido um importante movimento de conscientização da união entre os produtores rurais e da sociedade civil. “Nós tivemos o apoio de quase todas as federações e Estados, do Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), da Oganização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp), sindicatos de todo o Estado”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *