Rodovias concedidas de SP registram cerca de três atendimentos por minuto ao longo de 2020

“Meu sentimento é de gratidão. Mesmo preocupada, me senti muito segura com o atendimento dos socorristas. Todos foram muito atenciosos, desde o momento do parto até a nossa chegada ao hospital”, descreveu a arrecadadora Thamyres Santos Carvalhal, sobre o parto da pequena Bianca, realizado pela equipe do Atendimento Pré-Hospitalar (APH) da concessionária CCR AutoBAn, na base de atendimento ao usuário da Rodovia Anhanguera (SP-330), em São Paulo.

Este é um exemplo dos diferentes tipos de ocorrências atendidas por 4.410 profissionais que compõem as equipes das concessionárias reguladas pela ARTESP – Agência de Transporte do Estado de São Paulo. Em média, há um profissional pronto para ajudar a cada 2,5 quilômetros de rodovia concedida – no total, são 11,2 mil quilômetros de malha sob concessão no Estado de São Paulo.

Casos de partos como o da Thamyres ilustram que, apesar de os acidentes de veículos responderem pela maioria dos atendimentos, situações inusitadas fazem parte da rotina dos socorristas. Ocorrências envolvendo animais, mal súbito e objetos na via também demandam a atenção das equipes. Durante todo o ano de 2020, foram registrados em média 154 atendimentos pré-hospitalares (APH) diários, como o exemplo acima, somando 56.668 no total; 449.823 panes mecânicas, 97.074 casos de pneus furados, 48.866 panes secas, como são chamados os problemas por falta de combustível, 25.282 panes elétricas, entre outras. Ao todo, no período, foram 1.433.371 ocorrências, o que representa quase 4 mil atendimentos diários pelos profissionais das concessionárias.

Os serviços de resgate integram os contratos de concessão e são fiscalizados e acompanhados de perto pela ARTESP. Em média, o tempo de atendimento esperado para o atendimento pré-hospitalar que demanda ambulância é de 10 minutos para a chegada ao local e 20 para o transporte até a unidade de saúde. Para socorro mecânico, a espera estabelecida por um guincho é de 20 a 30 minutos. Após a chegada, o veículo é removido até o posto mais próximo.

“As concessionárias têm em seu quadro de funcionários profissionais altamente qualificados para os mais diferentes tipos de atendimentos”, afirma o diretor geral da ARTESP, Milton Persoli. “Nosso objetivo é um só: estarmos preparados para as mais diversas situações que possam ocorrer, garantindo o melhor atendimento ao usuário que trafega nas rodovias concedidas.”  

Nascimento na rodovia 

Na manhã de 26 de novembro do ano passado, socorristas da concessionária CCR AutoBAn foram surpreendidos com uma ocorrência inusitada: Thamyres Santos Carvalhal, arrecadadora que também trabalha em uma concessionária de rodovias (atua na CCR RodoAnel), chegou à base de atendimento ao usuário do km 25 da Rodovia Anhanguera (SP-330) em trabalho de parto.

Thamyres conta que acordou sentindo muitas dores e pediu para que sua cunhada a levasse ao hospital. Quando seguiam pela Via Anhanguera, as dores ficaram muito fortes e ela notou que daria à luz a qualquer momento. Para a arrecadadora, foi tudo muito rápido e a atuação da concessionária fez toda a diferença: “Ainda bem que eles estavam ali, senão a bebê ia nascer dentro do carro”. 

Leomar dos Santos, enfermeiro do Resgate da CCR AutoBAn, relata a situação que presenciou ao receber Thamyres naquela manhã: “Equipes do suporte básico realizaram a abordagem ainda no veículo e constataram o trabalho de parto. Prontamente, os profissionais se paramentaram para realizar o parto e de imediato nos acionaram com a Viatura de Intervenção Rápida. Ao chegar no local, minutos depois, o parto já havia sido realizado e então partimos para os trabalhos pós-parto, que incluem uma avaliação dos sinais vitais e condições clínicas do bebê e também cuidados com a mãe”.   

Bianca nasceu com 48 centímetros e pouco mais de 3 quilos. Mãe e filha foram encaminhadas para o hospital. Quase dois meses depois, Thamyres comenta sobre a experiência: “Tive medo, mas fui vendo que a ambulância estava toda equipada, os profissionais eram muito preparados e deu tudo certo. Só tenho a agradecer. Ela nasceu perfeita, com plena saúde”.  

Saiba o que fazer em caso de necessidade 

Um bom planejamento é fundamental antes de pegar estrada, mas, como imprevistos podem acontecer durante as viagens, é importante que os motoristas tenham à mão os telefones das concessionárias e também da Polícia Militar Rodoviária (PMR) para avisar sobre algum problema que venha a acontecer. Consulte aqui os telefones 0800 de todas as concessionárias. Em caso de emergência, o usuário dispõe de outros canais de atendimento, entre eles o call box, que são os telefones instalados a cada quilômetro, em ambos os sentidos da rodovia, e também podem contar com o sistema de atendimento via wi-fi, já disponível na Rodovia dos Tamoios (SP-099), na SP-333 (Assis – Marília – Borborema) e na SP-255 (Itaporanga – Araraquara).

As rodovias concedidas contam com 122 postos SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário), que operam 24 horas por dia, onde é possível parar para descansar, ir ao banheiro ou obter auxílio mecânico. Os atendimentos emergenciais gratuitos são executados pelas concessionárias e estão previstos nos editais de concessão.

A estrutura de atendimento oferecida pelas concessionárias conta com mais de 4,4 mil funcionários destinados exclusivamente ao atendimento nas estradas, desde médicos, mecânicos, enfermeiros, socorristas até agentes de manutenção e tráfego. São 211 ambulâncias, 261 guinchos e 211 veículos de inspeção à disposição dos usuários que trafegam pela malha concedida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *