SP está preparada para produzir mais 10 milhões de doses da vacina do Butantan

O governador João Doria, o secretário da saúde, Jean Gorinchteyn, e o diretor executivo da Fundação Butantan, Rui Curi, acompanharam neste sábado (26) a chegada de um novo lote de 6 mil litros Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), que permitirá ao Instituto Butantan a produção e a entrega, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), de mais 10 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus.

A partir de amanhã, o Butantan já vai começar a produzir essas 10 milhões de doses e, dentro de 12 dias, o Instituto iniciará a entrega em etapas das vacinas prontas para o Ministério da Saúde e para os braços dos brasileiros. Outra boa notícia é a chegada de mais 1 milhão de doses de vacinas prontas na próxima terça-feira, totalizando mais 11 milhões de doses da vacina do Butantan, a vacina da vida, a vacina do Brasil“, comemorou Doria.

A carga, enviada pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Butantan para o desenvolvimento do imunizante, chegou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo. A aeronave da companhia aérea Turkish saiu de Pequim, na China, e fez escala em Istambul, na Turquia, antes de chegar ao Brasil.

O IFA recebido agora passará pelos processos de envase, rotulagem, embalagem e por um rígido processo controle de qualidade para que a vacina seja disponibilizada ao Ministério da Saúde para imunização dos brasileiros. Todo este processo dura aproximadamente de 15 a 20 dias.

Em maio, o Instituto Butantan recebeu três mil litros de matéria prima, o mesmo quantitativo do mês de abril que possibilitou a produção e a entrega de 5 milhões de doses. Em março, uma remessa de 8,2 mil litros de insumo, correspondente a cerca de 14 milhões de doses, chegou ao Brasil. Outros 11 mil litros de insumos desembarcaram no país em fevereiro. No final de 2020 foi recebido IFA suficiente para a produção de 3,8 milhões de vacinas.

Até o momento, o Butantan já assegurou 52,21 milhões de vacinas contra a COVID-19 entregues ao PNI (Plano Nacional de Imunizações). Os dois acordos firmados com o Ministério da Saúde totalizam 100 milhões de doses, com previsão de conclusão para o dia 30 de setembro.

Porém, o Butantan e a Sinovac tentam viabilizar duas remessas de 12 mil litros cada, em julho e agosto, para antecipar o cumprimento do contrato com o Ministério da Saúde com ao menos um mês de antecedência.

A partir de dezembro, o Butantan deverá produzir a matéria-prima da vacina contra a COVID-19 em uma nova fábrica em São Paulo. A construção da unidade deve ser concluída em setembro, com capacidade para fabricação local de 100 milhões de doses do imunizante por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *