Usina Batatais estima moer 4,1 milhões de toneladas de cana na safra 2021/22

Usina Batatais fechou a safra 2020/21 com 4,419 milhões de toneladas de cana processadas, um recorde para a companhia, que completou 36 anos de existência, nesta segunda-feira (1º de março). Para a safra 2021/22, a empresa projete moagem de 4,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

O número representa uma redução em relação à última safra. Isso devido à seca do ano passado, que deve afetar negativamente a produtividade da cana. O que pode ser minimizado com uma regularidade nas chuvas nos próximos meses. “A perspectiva inicial é que sejam produzidos 6,5 milhões de sacos de açúcar de 50 kg e 140 milhões de litros de etanol”, afirma a usina.

Com 2.150 colaboradores entre próprios e prestadores diretos, a Usina Batatais mantendo-se como a maior empregadora do município localizado no interior paulista. Na região, apoia vários projetos, tanto de esporte quanto de cultura, reforçando a sua reponsabilidade social.

Entre os projetos que apoia, estão o Bola Bacana, que auxilia o desenvolvimento esportivo de crianças e adolescentes atrelado ao envolvimento nas atividades escolares, assim como o Usina da Dança, que além de motivar a expressão artística e cultural, também estimula requisitos de cooperação, respeito e solidariedade. Através desses projetos, durante o período de setembro de 2019 a dezembro de 2020, foi possível atender 400 alunos(as) no contraturno escolar da cidade de Batatais -SP.

Na última semana, a Usina Batatais recebeu a visita do Padre Reni, que abençoou a companhia para o início da próxima safra (Assessoria de Imprensa Usina Batatais)

 

A Batatais também atua a favor da proteção ao meio ambiente. A companhia investe vastos recursos no Programa + Floresta. Até 2020, mais de 1,85 milhões de mudas de árvores nativas já foram plantadas e destinadas à restauração de 1057,58 hectares de matas ciliares, em áreas de preservação permanente (APPs).

Recentemente, a Usina Batatais obteve mais uma vez o Certificado de Energia Verde na produção de bioeletricidade para o autoconsumo. “Isso demonstra seu papel de relevância na produção de energia com responsabilidade assim como na fabricação de açúcar, pois a empresa também apresentou um excelente resultado na nova versão das normas ISO e FSSC 22000, que garantem a qualidade dos alimentos que são comercializados”, conclui a usina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *